O instante exato

Quando a chave vira?

Quando o amor começa ou termina?

Qual foi a palavra, a atitude exata que te fez se apaixonar por alguém ou deixar de senti-lo?

Isso é tudo tão sutil.

Às vezes você nem percebe. Mas, no nosso caso eu lembro.

Eu lembro o dia, o momento exato em que você deixou de ser um amigo, e lá no meu interior eu te olhei com um desejo novo.

A chave virou em segundos.

Foi um domingo na praia. Te vi brincando com seus sobrinhos de um jeito tão amoroso que acho que despertou meu lado mais maternal  e  que nem eu sabia que tinha.

Engraçado eu saber disso, parece que ouvi  a moedinha caindo e naquela hora soube que íamos ter algo.

E vivemos um “amor”.

Entreguei-me de  corpo e alma até as entranhas e senti  como se aquilo fosse eterno.

Mas ao longo do caminho as coisas mudaram.

E ao contrário do começo eu não sei o instante exato em que acabou.

Mas de repente, ou melhor, depois de tantas coisas eu simplesmente não sinto mais.

Como num estalar de dedos, como num passe de mágica, a chave virou novamente.

Provavelmente não foi de um dia pro outro e muito menos mágica, mas sim, o resultado de vários e vários dias de isolamento e reflexão até meu coração aceitar o que minha cabeça dizia.

E assim, o ciclo finalmente termina.

E a vida segue.

E então, inesperadamente a chave do recomeço e de novas histórias se acendeu também.