Aceite, a vida não erra.

Tudo sempre tem uma razão de ser.

Quando passamos por alguma perda, seja na vida profissional, amizades ou relacionamento temos as piores sensações do mundo.

A dor no peito, a tristeza, raiva, tristeza de novo…Vivemos uma montanha russa de sentimentos.

Um dia bem, outro péssimo e assim caminhamos por um tempo.

Algumas pessoas ficam dias assim, outras semanas, meses ou até anos.

Quanto mais tempo você demora para entender que talvez seja melhor assim, que isso tinha que acontecer, que tudo na vida tem uma razão de ser mesmo que você não entenda os motivos, mais tempo você perde á toa.

Meus queridos amigos, acredite, você não é onipresente, você muitas vezes acha que sabe de tudo, mas, tem muitas coisas que você não sabe.

A sua visão é limitada.

Então confie, a vida não erra.

Se algo não deu certo, se não foi como você queria por mais que você tentou, se esforçou e deu o seu melhor naquele momento, por algum motivo não era para ser.

Talvez seja no futuro, talvez não seja nunca mais.

Mas confie, a vida não erra.

E com o tempo você vai perceber isso e lembrar desse texto.

bjus

O meu melhor.

Minha alma preferida,

Minha calma,

Meu amigo,

Meu riso.

Você é a minha fé renovada, meu suspiro fundo de olhos fechados sentido o cheiro da terra molhada depois de uma tempestade que destruiu tudo.

Você aquece meu coração, renova minhas energias e me faz sentir segura.

Obrigada.

Te amo.

Enfim, você chegou!

Hoje fazemos mais um mês,

Sensação estranha, faz poucos meses que nos conhecemos, e ao mesmo tempo parece há uma vida inteira.

Tem muitas coisas que não sei sobre você, mas também sinto como se nossas almas fossem velhas amigas.

Fazem alguns meses que você deixou minha vida mais colorida, leve e divertida. Me trouxe tranquilidade e amor.

Nosso tempo junto é sempre harmonioso, gostoso, leve…

Amo o jeito como você ri, as suas brincadeiras tolas, a maneira como você é carinhoso e adoro quando você segura minha mão.

Amo as coisas que fazemos juntos, os passeios no parque, na praia ou um simples caminhar na rua.

A vida que temos hoje, é o que sempre quis ter com alguém.

Que bom que você chegou.

Minha calma.

Eu amo a sua serenidade,

A sua simplicidade e a sua alegria.

Eu amo o jeito como você acaricia meus cabelos enquanto eu me aconchego em você para dormir.

Você não é muito de falar, mas mesmo assim me sinto segura com você.

Teu abraço é terno, seu olhar sereno e seu beijo amoroso.

Teu silêncio me acalma.

Poderia ficar horas e horas assim.

Quando você segura a minha mão, eu me sinto completa.

Nunca pensei que algo tão simples pudesse me trazer tanta tranquilidade.

Você é luz, é calma, é alegria, é carinho e é amor.

Nossos dias!

Gosto da nossa rotina,

Do nosso bom dia todo dia,

De fazer o suco verde de manhã cedo e as panquecas de banana pra você.

Gosto de a gente ir caminhar sempre, de andar de bicicleta ou de te ver surfar.

Gosto de ouvir você tocar violão e cantar enquanto eu me arrumo,

De ajudar você a se arrumar.

Gosto da nossa vida juntos,

A sua maneira de ver as coisas, o jeito leve que leva a vida e a sua ‘não” crítica as coisas e a mim.

Você me faz sentir especial, leve e diferente. Não me julga, não me poda e me deixa ser o meu melhor sempre.

Obrigada!

O fim. O recomeço.

Eu te bloqueei de tudo, de novo.

Apaguei as fotos, até meu blog tirei do modo “público”.

Eu decidi, finalmente, que não quero mais você na minha vida.

Você não foi legal comigo, nem como namorado, nem como amigo.

Não dá pra eu continuar tendo carinho e respeito por alguém que não teve comigo.

Chega! Desta vez é para sempre.

Eu sempre acreditei que o amor supera tudo, que amor ajuda o outro a amadurecer e crescer.

Mas isso não é amor.

E eu to partindo pra sempre, sem volta, sem receio e sem dúvidas.

Cansei de tentar plantar a semente de uma flor rara em um solo seco.

Peguei minhas sementes e parti sem rumo. Desejando que , se Deus quiser, eu encontre um novo lugar, uma nova história onde as sementes floresçam e cresçam com toda a magnitude dos sentimentos mais puros que eu carrego comigo.

E você nem sabe…

Tem acontecido tanta coisa boa,

Tanta coisa mudou desde que nós paramos de conversar,

E sério, você teria orgulho de mim!

É uma pena você não estar por perto,

É frustrante quando acontece algo sobre meu trabalho, algo bom

Porque a primeira pessoa que quero contar é você,

Mas aí lembro que não posso, que não devo e que não faz mais sentido.

É triste

É uma pena.

Mas você teria orgulho de mim!

Isso eu sei.

O ponto final.

Eu não te odeio. Sério!

Sei que você pensa que estou com ódio porque te bloqueei de tudo, mas eu não te odeio.

Eu só cansei.

Das grosserias,

De você fazer pouco caso das coisas que me magoam,

Cansei de estar onde não deveria.

Eu sei que um dia você me amou, ou ao menos achou que me amava,

E você me fez feliz,

Fez sim, por um tempo.

E te sou grata porque todo mundo merece se sentir amado, mesmo que não seja pra sempre.

Mas eu cansei do que veio depois.

Cansei de você me querer por perto só quando é bom pra você.

Cansei de deixar você na minha vida sendo que na verdade eu não estou na sua.

Não me entenda mal, eu não te odeio.

Se você precisar de mim eu vou estar aqui.

Se eu te ver na rua  vou sorrir e cumprimentar.

Se sofrer um acidente ou se ficar doente, eu vou me preocupar e rezar pra que fique bem.

Eu te quero bem.

Mas agora te quero longe.

Não temos mais assunto, não compartilhamos mais nosso dia a dia e não quero mais me sentir parte de algo que não sou.

Então não entenda mal, eu não te odeio, só não quero mais dividir minha vida com o passado.

Nem saber coisas que não me dizem mais respeito.                                                          

Então sim, eu te bloqueei.

E não por ser imatura, mas sim por me respeitar.

E se você um dia me amou, vai saber que eu estou certa em fazer isso, e orar a Deus pra que eu fique bem.

Porque eu ainda te desejo o melhor.

A estranha sensação de não estar apaixonada.

Aqui estou eu.

Naquele estranho e necessário intervalo de tempo.

Sem aquela vontade de voltar ao passado e nem de reviver oque passou. (não mesmo)

E sem nenhuma pressa de começar uma nova história. (não mesmo)

Estranho. Sei que se você meu ex, lesse isso ,acharia estranho. Acho que você pensava que eu estaria triste querendo te ver, ou feliz curtindo todas as baladas ( ainda não sei porque você achava que seria assim), ou mais provavelmente, você pensou que eu logo estaria agarrada a alguém.

Eu entendo, eu tenho 33 anos, quero muito casar e ter filhos e sou uma romântica. Mas não tenho pressa. Se pareceu por vezes a você que eu tinha, era porque simplesmente acreditava na gente. E não por carência, desespero ou sei lá oque.

Sério, eu não tô com saco pra começar de novo, sabe?

Não, não é porque te quero ainda, não mesmo…

É porque não to com saco pra começar tudo de novo, me apresentar, apresentar família, mostrar a outra pessoa que eu sou confiável, amável e etc.

Sério, não to com saco.

Essa coisa de começar as vezes cansa.

E eu também não to afim de ter que me preocupar com isso agora. Conhecer, ficar com pé atrás e até confiar de novo… Meu Deus!

Ter que dar satisfação, me sentir controlada, presa a algo ou alguém.

Não quero, não agora.

Tô nesse estranho intervalo de tempo onde não me sinto apaixonada por ninguém.

Escuto músicas e não me vem mais você a mente e também não há outra pessoas a quem eu queira encaixar nas músicas.

E sabe que eu tô gostando?! Eu já tinha passado por isso a anos atrás, e tinha me esquecido como é bom não estar emocionalmente presa a alguém.

Como é bom tirar esse tempo só pra mim.

Mas claro, sei que um dia desses isso vai mudar, alguém vai me tirar o ar e óbvio que eu vou deixar , afinal, eu ainda sou aquela romântica.

Em um espaço de tempo só meu, mas ainda aquela romântica.

O instante exato

Quando a chave vira?

Quando o amor começa ou termina?

Qual foi a palavra, a atitude exata que te fez se apaixonar por alguém ou deixar de senti-lo?

Isso é tudo tão sutil.

Às vezes você nem percebe. Mas, no nosso caso eu lembro.

Eu lembro o dia, o momento exato em que você deixou de ser um amigo, e lá no meu interior eu te olhei com um desejo novo.

A chave virou em segundos.

Foi um domingo na praia. Te vi brincando com seus sobrinhos de um jeito tão amoroso que acho que despertou meu lado mais maternal  e  que nem eu sabia que tinha.

Engraçado eu saber disso, parece que ouvi  a moedinha caindo e naquela hora soube que íamos ter algo.

E vivemos um “amor”.

Entreguei-me de  corpo e alma até as entranhas e senti  como se aquilo fosse eterno.

Mas ao longo do caminho as coisas mudaram.

E ao contrário do começo eu não sei o instante exato em que acabou.

Mas de repente, ou melhor, depois de tantas coisas eu simplesmente não sinto mais.

Como num estalar de dedos, como num passe de mágica, a chave virou novamente.

Provavelmente não foi de um dia pro outro e muito menos mágica, mas sim, o resultado de vários e vários dias de isolamento e reflexão até meu coração aceitar o que minha cabeça dizia.

E assim, o ciclo finalmente termina.

E a vida segue.

E então, inesperadamente a chave do recomeço e de novas histórias se acendeu também.